Como separar as Finanças pessoais das Finanças da empresa?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

A rotina de um empreendedor é repleta de desafios que determinam o sucesso de uma organização. Uma das principais se apresenta no momento de separar as finanças pessoais das finanças da empresa.

Estamos falando de um dos erros mais cruciais na gestão empresarial. Afinal de contas, quando não existe tal separação, uma empresa corre sérios riscos financeiros. O que pode levá-la, inclusive, à falência.

Desse modo, a saúde financeira de uma empresa pode ser prejudicada, comprometendo assim todo o seu funcionamento.

É o que nos leva a abordar este assunto por meio deste artigo, no qual você, empreendedor, saberá como separar as finanças pessoais das finanças da empresa.

Portanto, acompanhe conosco e descubra as melhores dicas para fazer a separação entre finanças pessoais e empresariais.

Aproveite também para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto e implementar uma gestão financeira mais assertiva.

Acompanhe também o nosso artigo referente ao assunto: Encargos trabalhistas: Quanto custa manter um funcionário?

Por que separar as finanças pessoais das finanças da empresa?

Após uma breve introdução sobre este assunto, é possível que você esteja se questionando acerca da importância de separar as finanças pessoais das finanças da empresa.

Misturar as finanças é um erro constantemente cometido entre os empreendedores, principalmente os que estão à frente de micro e pequenas empresas.

Afinal de contas, com a limitação de recursos, é comum utilizar finanças pessoais para lidar com despesas empresariais.

Ou seja, quando não existe uma separação entre as finanças pessoais das empresariais, o empreendedor pode acabar utilizando os seus recursos próprios para arcar com débitos da sua empresa e vice-versa.

Deste modo, estamos falando de uma prática que pode comprometer a saúde financeira de uma empresa.

Isso porque, o empresário acaba não compreendendo a realidade das finanças do seu negócio.

Sendo assim, o fim de uma organização na qual o empreendedor não busca separar as finanças pessoais das finanças da empresa pode ser a falência.

No entanto, existem algumas práticas que permitem fazer a correta separação com bastante assertividade.

Continue acompanhando para compreender melhor de quais métodos estamos falando!

Aproveite para acompanhar também o artigo: Sua empresa cresceu? Saiba como migrar de MEI para ME de forma segura.

Como separar as finanças pessoais das finanças da empresa?

Atualmente, os empreendedores encontram diferentes formas de separar as finanças pessoais das finanças da empresa. O que permite um maior controle financeiro e, consequentemente, uma gestão empresarial mais assertiva.

Desta forma, a separação das finanças de um empresário é um dos passos-chave para o sucesso de uma empresa. Logo, que tal conferir quais são as principais práticas?

Acompanhe a seguir quais são as mudanças que, quando colocadas em prática, podem posicionar o seu negócio em outro patamar. Confira!

1. Faça uma análise financeira

O primeiro passo para separar as finanças pessoais das finanças da empresa é fazer uma boa e detalhada análise sobre a realidade financeira da sua empresa. Com isso, não deixe de levar em consideração dados como:

  • Entradas;
  • Gastos;
  • Pendências financeiras;
  • Etc.

Deste modo, após levantar informações como as citadas acima, você vai fazer uma separação entre dois grupos: vida pessoal e empresarial.

Sendo assim, será mais fácil identificar quais são as despesas pessoais e da empresa, cumprindo com maior assertividade com cada uma delas. 

2. Tenha contas separadas

Um segundo passo que, por mais que aparenta ser simples, faz toda a diferença é abrir duas contas bancárias separadas. Ou seja, uma para fins pessoais e outra voltada para a sua empresa.

Desta forma, será possível fazer uma administração mais assertiva dos recursos referentes tanto à pessoa física quanto jurídica. O que evita assim de acabar confundindo ambas as finanças e prejudicando a empresa.

Além disso, a abertura de contas bancárias distintas também permite uma maior segurança no momento de declarar o Imposto de Renda.

Afinal de contas, o acesso aos extratos da conta jurídica estarão disponíveis de forma simples e rápida.

Confira também o nosso artigo sobre o assunto: O que é o Pix: conheça as vantagens oferecidas para MEI.

3. Defina um pró-labore para os sócios

Caso a empresa seja administrada por vários sócios, a ação mais assertiva para separar as finanças pessoais das finanças da empresa é a definição de um pró-labore.

Estamos falando de um termo que se apresenta como uma espécie de salário, permitindo assim que não ocorram retiradas não previstas do caixa de uma empresa.

No entanto, é necessário bastante atenção no momento de definir o valor do pró-labore, uma vez que, deve-se priorizar a saúde financeira da empresa. Portanto, o valor estipulado deve ser de acordo com a realidade de um negócio.

Agora que você já sabe como separar as finanças pessoais das finanças da empresa de forma assertiva, chegou o momento de contar com o apoio de um serviço contábil para a otimização da sua gestão financeira.

Portanto, conte com a ARKA Online! A ARKA Online é um escritório que presta serviços de contabilidade, consultoria trabalhista e tributária, composto por especialistas em e-Social Doméstico, MEI – Micro Empreendedor Individual, Micros e Pequenas Empresas.

Aproveite para entrar em contato conosco e descubra como os nossos serviços podem ajudar a sua empresa. Não se esqueça também de curtir as nossas redes sociais e acessar o nosso blog para mais conteúdos!

 
 
 
Clique para avaliar este post!
[Total: 0 Média: 0]