Valuation: Saiba o que é e como é feito o Cálculo

Tempo de leitura: 7 minutos

O valuation é um processo que busca estimar o valor de mercado de uma empresa. Esse valor é importante para que a empresa possa entender as estratégias de crescimento mais adequadas, pois permite comparar sua capacidade de gerar receita com seu custo de capital.

Compreender o valor de uma empresa é essencial para observar as tendências de crescimento ao longo do tempo e tomar decisões mais assertivas. Para isso, é necessário entender o que é valuation e como calculá-la.

O termo significa avaliação da empresa. Essa avaliação pode estimar o valor das ações de uma empresa ou de sua estrutura geral, e ainda identificar quais áreas valem menos que a média do negócio e buscar estratégias para dar a volta por cima.

Significado de Valuation

Valuation é o processo de estimar o valor real ou intrínseco de uma empresa, determinando o preço justo da empresa e o retorno sobre o investimento em ações.

Dentre os métodos de avaliação, existem diversas técnicas de avaliação que podem ser utilizadas para especular sobre o valor de uma empresa. Nesse sentido, o mais famoso deles é o Fluxo de Caixa Descontado (FDC).

No entanto, outras técnicas também são amplamente utilizadas. Este é um caso de análise comparativa de múltiplos e avaliação histórica de múltiplos.

Portanto, é importante ressaltar que a avaliação não é apenas uma fórmula matemática, mas uma abordagem que envolve múltiplos fatores subjetivos que variam para cada investidor.

Quais os tipos de Valuation que existem?

Valuation
Valuation

Existem várias maneiras de avaliar uma empresa. Descubra quais são os mais usados.

Fluxo de caixa descontado

A análise de avaliação calculada por meio de um modelo de fluxo de caixa propõe uma abordagem ao valor intrínseco da empresa e aplica um desconto de risco relacionado ao investimento para prever lucros futuros.

A base de cálculo da FDC utiliza de cinco anos (mínimo) a dez anos (máximo) para fazer as previsões.

A principal vantagem deste modelo é a capacidade de demonstrar risco para a empresa e demonstrar uma avaliação de caixa intermediária.

Além disso, os modelos FDC permitem que os analistas prevejam valor com base em diferentes cenários e até realizem análises de sensibilidade.

Para empresas maiores, o valor do FDC geralmente é uma análise de soma em que diferentes unidades de negócios são modeladas separadamente e somadas.

Porém, além dos bons resultados, esse método é mais caro e exige mais esforço e tempo de trabalho.

Múltiplos de mercado

As avaliações calculadas pelo método de múltiplos de mercado permitem uma avaliação por meio da comparação relativa das métricas de empresas que atuam em um determinado setor.

Entre os valores de referência mais utilizados, geralmente está o Ebitda (Earning Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization) ou Lajida “Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização”, que representam o lucro de uma empresa antes de juros, impostos, depreciação e amortização.

Apesar de ser um método amplamente utilizado, principalmente devido à sua facilidade de aplicação, o método de avaliação múltipla de mercado pode apresentar alguns problemas. Isso porque é difícil encontrar empresas operando no mesmo setor e com o mesmo modelo de negócios.

Nesse sentido, algumas peculiaridades podem ser ignoradas ao se utilizar modelos comparativos. Além disso, o modelo não analisa o momento da empresa, mas todo o período.

Aproveite e leia: Imóvel Recebido de Herança: Posso Atualizar o Valor no Imposto de Renda?

Valuation contábil

No método de valuation contábil, considera-se apenas a contabilização da empresa, ou seja, o patrimônio líquido.

No entanto, mesmo com descontos na depreciação e amortização, esse método muitas vezes é insuficiente para determinar o valor real de uma empresa.

A fraqueza do modelo contábil é que ele ignora os ativos intangíveis da empresa, incluindo marcas, patentes, franquias, etc.

Valuation de liquidação

O método valuation de liquidação consiste basicamente em somar todos os ativos e subtrair os passivos. É muito utilizado quando uma empresa está em situação de fechamento, por isso é chamado de liquidação.

Outra variável considerada neste método de cálculo de avaliação é o tempo. Nesse caso, os analistas tentam estimar um curto período de tempo para calcular quanto dos proprietários restantes do imóvel podem vender.

Valuation pré-investimento

Como o nome sugere, o valuation pré-investimento está relacionada ao valor de mercado de uma empresa antes das contribuições financeiras.

Por exemplo, digamos que a empresa tenha um valor estimado de R$ 6,5 bilhões antes de receber um investimento de R$ 1,5 bilhão. Este último é uma avaliação de pré-investimento.

Valuation pós-investimento

O valuation pós-investimento, que pode ser facilmente derivada, é o valor do valor total após a injeção de capital.

Este modelo de valuation é usado para definir o interesse do investidor em uma empresa. Os cálculos devem sempre seguir as contribuições. Além disso, por meio da avaliação pós-investimento, o crescimento da empresa também pode ser calculado.

Qual tipo de Valuation utilizar?

De acordo com o modelo FCD, o primeiro passo na avaliação de uma empresa é prever o fluxo de caixa (valor recebido - valor gasto no total) para um determinado período.

Para uma boa análise, o prazo considerado razoável é de cinco anos. No entanto, esse momento dependerá da estabilidade das empresas envolvidas.

Por exemplo, alguns setores relacionados à alimentação, construção civil e combustíveis tendem a ser mais estáveis ​​e, portanto, permitem avaliações mais confiáveis. Portanto, nesses casos, períodos de tempo mais longos podem ser usados ​​sem perda de qualidade dos dados.

Por outro lado, empresas menores, startups e empresas relacionadas a setores mais dinâmicos como tecnologia tendem a apresentar resultados mais voláteis. Portanto, nesses casos, os dados são menos confiáveis.

Portanto, para obter resultados mais confiáveis, recomenda-se reduzir as estimativas de tempo e aumentar a taxa de crescimento da conta de fluxo de caixa para os próximos anos.

A segunda e mais complexa etapa do método FDC é encontrar um parâmetro para determinar a taxa de desconto. Não há consenso entre os analistas sobre a definição das taxas de juros.

A taxa de desconto é projetada para representar a depreciação de uma moeda ao longo do tempo, criada pela incerteza.

O valor deve ser superior à Taxa Selic e deve ser baseado no risco da empresa, de acordo com outras possibilidades de investimento disponíveis, como bolsa de valores.

Por um lado, muitos analistas sugerem que para o cálculo da taxa de desconto deve-se utilizar o rendimento médio das empresas em bolsa. Há também analistas que acreditam que o retorno médio em renda fixa deve ser utilizado.

Além do risco médio do setor em que atua, há uma terceira tendência que sustenta a consideração da composição do custo de capital de uma empresa.

Diante desse impasse, uma solução interessante, e a mais utilizada, é a base de retorno médio da bolsa.

Por fim, o valor derivado da soma de todos os fluxos de caixa menos a taxa de desconto é a avaliação atual da empresa em análise.

Conclusão

Apesar de sua natureza contábil, a avaliação também pode ser vista como uma oportunidade para uma empresa inovar.

As organizações dispostas a encontrar melhores formas de fazer negócios têm uma vantagem competitiva que pode agregar ao seu valor futuro, o que as torna mais atraentes para os investidores.

No entanto, é importante gerir adequadamente esta inovação, equilibrando a descoberta de oportunidades e a cobertura de riscos, para que a empresa possa realmente ter um sólido potencial de crescimento e não apenas uma aposta.

Deixe seu comentário ou sugestão! A ARKA Online Contabilidade procura trazer assuntos relevantes para o empresário.

Clique para avaliar este post!
[Total: 0 Média: 0]