Quanto custa manter uma funcionária doméstica?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Você compreende o que é o eSocial Doméstico e como ele pode contribuir para o entendimento acerca de quanto custa manter uma funcionária doméstica?

Estamos falando de um sistema que permite realizar escriturações fiscais. Logo, todas as informações referentes às contribuições previdenciárias, folha de pagamento e emissão de Guias DAE ficam armazenadas em um único lugar.

Deste modo, o eSocial Doméstico é fundamental no momento de manter uma funcionária doméstica. Afinal de contas, as guias e documentos associados ao recolhimento de impostos podem ser emitidos por meio dele.

No entanto, ainda é possível encontrar empregadores com dificuldades no momento de utilizar este sistema. Com isso, o que você acha de compreender melhor sobre este assunto e entender quanto custa manter uma funcionária doméstica?

Acompanhe o nosso artigo com atenção e descubra tudo por trás do eSocial Doméstico e o custo por trás de uma funcionária. Leia conosco e aproveite para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto!

Confira também o artigo referente ao tema: Você sabe como separar as finanças pessoais das finanças da empresa?

Do que se trata o eSocial Doméstico?

O eSocial (Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais Previdenciárias e Trabalhistas) é um programa criado pelo Governo Federal que tem como intuito fazer a unificação do recolhimento de informações entre empregadores e empregados.

Deste modo, ele cumpre um papel fundamental, facilitando assim a vida dos empregadores. Mas como isso é possível?

Por meio do eSocial Doméstico, os empregadores domésticos encontram a possibilidade de fazer o recolhimento de impostos, do fundo de garantia e FGTS. Tudo isso é feito acessando o Módulo Empregador Doméstico.

Sendo assim, acompanhe a seguir como é o processo de cadastro de um empregador no eSocial Doméstico. Vamos lá?

Como é o cadastro do empregador no eSocial Doméstico?

Para garantir a conformidade de uma relação trabalhista, é indispensável que tanto empregador quanto funcionária doméstica estejam devidamente cadastrados no sistema eSocial Doméstico.

Desta maneira, o sistema exige uma série de documentos para que o cadastro seja feito com maior assertividade. Confira quais são:

  • CPF;
  • Data de nascimento;
  • Número do Título de Eleitor;
  • Comprovante da entrega das duas últimas declarações do Imposto de Renda.

No entanto, o próprio sistema acaba facilitando o processo de cadastro. Isso porque, ao informar dados como CPF e data de nascimento, é possível validar os demais dados, como a declaração do Imposto de Renda.

Passado este processo, o empregador será encaminhado para uma outra tela, na qual outras informações serão solicitadas.

Aproveite para acompanhar também o nosso artigo sobre a: Precificação: como calcular o preço do seu serviço?

Como é o cadastro do empregado doméstico?

O segundo passo é fazer o cadastro do empregado doméstico. Com isso, será necessário informar alguns documentos, como:

  • Número do CPF;
  • Data de nascimento;
  • Nacionalidade;
  • Data de admissão como empregada doméstica;
  • Raça/cor;
  • Nível de escolaridade;
  • Número do NIS (NIT/PIS/PASEP);
  • Dados como número, série e UF da CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social);
  • Inserir endereço de residência do trabalhador;
  • Descrição do cargo;
  • Escolher tipo de contrato (indeterminado ou determinado);
  • Inserir valor de salário a ser pago e também a periodicidade de pagamento (por hora, dia, semana, quinzena ou mês);
  • A sua jornada contratual.

Confira também o nosso artigo sobre o: MEI: Saiba como declarar o Imposto de Renda Pessoa Física (IRPJ).

Como funciona a emissão da Guia DAE?

Um outro aspecto fundamental referente ao eSocial Doméstico é a emissão do Documento de Arrecadação do e-Social (DAE).

Ele tem como base o recolhimento de impostos que incidem sobre a folha de pagamento e também do FGTS. Confira a seguir quais os tributos recolhidos por meio da emissão da Guia DAE:

  • FGTS: 8% do salário do empregado;
  • FGTS (Valor referente à perda de emprego): 3,2% do salário do empregado;
  • INSS devido pelo empregador: 8% do salário;
  • INSS devido pelo empregado: 7,50% a 14% de acordo com o valor do salário;
  • Seguro contra acidentes de trabalho: 0,8% sobre o salário;
  • Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF): caso o empregado receba acima de R$ 1.903,98.

Aproveite para acompanhar também o artigo sobre: Sua empresa cresceu? Saiba como migrar de MEI para ME de forma segura.

Quanto custa manter uma funcionária doméstica?

Após compreender melhor sobre o eSocial Doméstico, que tal entender melhor quanto custa manter uma funcionária doméstica?

Vamos pegar como exemplo uma empregada que tem como salário o valor de R$ 1.254.00, somado ao valor pago referente aos tributos.

Deve-se considerar o benefício obrigatório referente ao vale-transporte, que desconta até 6% do salário pago para uma empregada.

Sendo assim, também é fundamental levar em consideração o cálculo das férias, cedidas a cada 12 meses trabalhados. O que faz com que seja necessário acrescentar o adicional de ⅓ , previsto pela legislação.

Além disso, é fundamental considerar outros pontos que compõem o custo de uma funcionária doméstica, como uniformes, equipamentos, licenças, entre outros. Logo, não se esqueça de nenhum fator citado por aqui!

O que você achou do nosso conteúdo? Ele foi útil? Aproveite para enviá-lo para pessoas que possam se interessar pelo assunto! Caso tenha ficado alguma dúvida, não hesite em compartilhar conosco no campo destinado para comentários.

Não se esqueça também de curtir as nossas redes sociais e acessar o nosso blog para acompanhar outros conteúdos como este! Nos vemos por lá!

 
 
Clique para avaliar este post!
[Total: 0 Média: 0]