O que é DRE em Contabilidade? Saiba como é feita e qual a importância para o sucesso da empresa

Tempo de leitura: 8 minutos

A DRE é a Demonstração do Resultado do Exercício, documento contábil que resume todas as receitas e despesas da empresa durante um determinado período de tempo. É de extrema importância para o sucesso da empresa, pois permite analisar os resultados alcançados e planejar melhorias.

Conceito de DRE

A DRE - Demonstração Anual de Resultados é um relatório contábil que mostra se as operações de uma empresa geram lucros ou prejuízos ao longo de um período de tempo.

A DRE é elaborada com o balanço patrimonial e deve ser assinada por um responsável técnico habilitado pelo CRC - contador. Por lei, todas as empresas, exceto MEI, são obrigadas a apresentar relatórios e devem fazê-lo anualmente.

Ter um planejamento financeiro bem estruturado é essencial para o sucesso do seu negócio. Além de cumprir com as exigências contábeis e fiscais, esse documento irá te ajudar a tomar decisões fundamentadas sobre os rumos da sua empresa.

Leia todo o artigo e entenda a importância da DRE no dia a dia da sua empresa!

Qual a utilização da DRE?

A DRE compara os dados de receita e despesa de uma empresa, mostra o resultado final de seu desempenho e detalha como a empresa realmente opera. Informações de grande ajuda aos gestores na busca por resultados mais positivos.

Muito utilizado como um relatório gerencial, nele você pode verificar como está o financeiro do seu negócio, dessa forma, utilizar o conteúdo para tomada de decisões que poderão diminuir os gastos e aumentar o faturamento da empresa.

Para o governo, a DRE é de extrema importância. As informações são utilizadas pelo fisco para verificação dos impostos calculados, além de confrontar lucros distribuídos e declarados pelos sócios.

Para bancos, o resultado da DRE (lucro ou prejuízo) é fundamental e poderá determinar melhores linhas de crédito. É através da DRE que os analistas financeiros avaliam a situação do seu negócio para liberação de recursos. Investidores analisam os resultados, buscando segurança na aplicação do seu dinheiro.

Por lei, a DRE deve ser feita anualmente. Mas você pode optar por realizar mensalmente ou trimestralmente para utilizar como relatório gerencial, buscando melhorar seus resultados. Deve considerar ainda, obrigações fiscais, que determinam a periodicidade da DRE.

Leia também: Quais os documentos contábeis da sua empresa a serem enviados para o contador todo mês

DRE: Como é feita?

DRE
DRE

A DRE deve ser elaborada por um contador com habilitação ativa no CRC. Existe um padrão a ser seguido e as informações seguem uma sequência conforme Lei 6.404 e seu art. 187:

  • Receita bruta de vendas e serviços, suas deduções, abatimentos e impostos diretos;
  • Receita líquida de vendas e serviços, custo de mercadorias vendidas, serviços prestados e lucro bruto;
  • Despesas com vendas, despesas financeiras, deduzidas dessas receitas, demais despesas gerais, administrativas e outras despesas que sejam operacionais;
  • Lucros ou prejuízos operacionais, outras receitas despesas;
  • Resultados do exercício antes do IR e suas provisões;
  • Participações em debêntures, funcionários, gestores e beneficiários, mesmo que no formato de instrumentos financeiros, e de instituições ou fundos de assistência ou previdência de funcionários, que não sejam consideradas despesas;
  • Lucros ou prejuízos líquidos do exercício corrente e seu montante por cada ação de capital social.

Serão ainda computados na DRE: todas as receitas e rendimentos auferidos no período, independentemente da sua realização em moeda corrente; os custos, despesas, encargos e perdas, pagos ou incorridos, correspondentes a essas receitas e rendimentos.

Dessa forma, há uma variedade de cálculos a serem considerados na DRE. Falaremos de alguns, para você, empreendedor, ter uma noção:

Receita de vendas: inclui todas as vendas realizadas pela empresa, seja de um produto ou de um serviço. É importante notar que apenas as vendas de entrada de caixa não devem ser contabilizadas como receita, o conceito de receita refere-se à prestação eficiente de serviços ou venda de bens, independentemente do momento do recebimento do pagamento.

Impostos e suas Deduções: todos os impostos incidentes sobre as vendas e serviços são detalhados, como DAS-Simples Nacional, ICMS - imposto sobre circulação de mercadorias e serviços, ISS - imposto sobre serviços, etc. Será considerado aqui o conceito de incidência, ou seja, todos os tributos devidos deverão ser registrados na DRE, independentemente se eles tenham sidos pagos ou não. IRPJ e a CSLL, também devem ser considerados. Outras deduções a contabilizar são vendas canceladas, devoluções e descontos concedidos quando ocorrem.

A Receita líquida: é a receita bruta deduzidos os impostos e demais deduções.

Custos das vendas: refere-se ao valor total investido na compra e venda de mercadorias para revenda ou atendimento ao cliente. Às vezes, o conceito de custo parece vago, então vejamos um exemplo:

  1. a) Se a empresa for uma empresa de arquitetura e for contratada para desenvolver projetos de um galpão e for necessário um sistema para desenhar a planta, o valor gasto com o sistema é um custo. Se a empresa possui sistema de gestão financeira, isso não é uma despesa, pois não é usado para fornecer o serviço.
  2. b) Se a empresa for uma empresa comercial, todos os valores gastos na compra da mercadoria são custos, como fretes, pedágios, etc. Se a empresa tem funcionários, o vendedor é o custo e as pessoas que fazem as partes administrativas, como o departamento financeiro e o departamento de recursos humanos, são as despesas.

Lucro Bruto: é a receita líquida diminuída dos custos.

Despesas: são todas as despesas não custeadas necessárias à manutenção das atividades da empresa, como energia elétrica, internet, aluguel, etc. Dependendo da organização e controle de cada empresa, elas podem ser divididas em despesas de vendas, administrativas e operacionais.

Lucro Operacional: é o lucro bruto diminuído das despesas.

IRPJ e CSLL: Esses tributos são separados dos demais tributos, pois incidem diretamente sobre o lucro das empresas, mas isso não se aplica aos enquadrados no Simples Nacional, pois também incidem, em última instância, sobre a receita bruta.

Receitas e despesas não operacionais: podem ocorrer receitas não relacionadas com as atividades fins da empresa, como a venda de ativos fixos ou o ganho de prêmios. Nesse caso, essa receita é segregada das demais receitas, portanto, no DRE, fica claro o que a empresa ganha apenas com suas atividades primárias; da mesma forma, as despesas não operacionais são segregadas, de modo que os leitores do DRE entendam que tais eventos não fazem parte da atividade principal e geralmente não fazem parte do dia-a-dia de uma empresa. Exemplos de despesas não operacionais são multas por utilização de áreas públicas não autorizadas, multas no trânsito ou quaisquer outras multas recebidas; despesas com festas de funcionários, doações, etc.

Receitas e Despesas Financeiras: também são segregadas em grupos específicos na demonstração do resultado e, portanto, não afetam a leitura dos resultados operacionais. Exemplos de receitas financeiras são receitas de investimentos e descontos recebidos; os encargos financeiros são multas e juros pagos por atraso no pagamento de impostos e fornecedores e encargos bancários por serviços de manutenção, etc.

Resultado do exercício: aqui é apresentado o resultado, sendo lucro ou prejuízo apurado, após a inclusão de todas as receitas e despesas acima. Caso o resultado seja lucro, esse poderá, a critério dos sócios ou acionistas, ser distribuído e informado na declaração de imposto de renda pessoa física - IRPF.

Resumindo, para fazer uma DRE que atenda a legislação, diversos controles, cálculos e relatórios deverão ser realizados. Ou seja, guarde todos os documentos relacionados à DRE da sua empresa e acompanhe os registros realizados pelo seu contador ao longo do ano.

No entanto, se for necessário um relatório para controle pela administração, esse modelo não precisa seguir fielmente o modelo da DRE. Considere a natureza do seu negócio e adapte este documento às circunstâncias da sua empresa. Seu contador pode ajudá-lo nessa tarefa.

Conclusão

Ao entender a DRE da sua empresa, você passa a ter condições de avaliar a saúde financeira do negócio de forma mais assertiva. Dessa forma, ao precisar tomar uma decisão, terá em mãos, informações confiáveis; seja para cortar gastos, aumentar faturamento, fazer investimentos ou até distribuir lucros.

Um bom serviço de contabilidade fará os cálculos corretamente e considerará todos os itens exigidos no DRE da sua empresa. Para tornar o processo mais prático, conte com a contabilidade online para modernizar e facilitar as operações contábeis da sua empresa.

A contabilidade online é uma excelente aliada para reduzir os gastos da empresa e manter o controle sobre as finanças. Com esse recurso, você consegue ter acesso a relatórios financeiros atualizados e detalhados, o que auxilia no planejamento estratégico da sua organização.

Clique para avaliar este post!
[Total: 0 Média: 0]