O que é Pix: conheça as vantagens oferecidas para MEI

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Você já sabe o que é o Pix e quais são as suas vantagens? O novo meio de pagamentos do Banco Central traz consigo várias novidades e promete revolucionar a realização de transações bancárias.

Deste modo, com o Pix, os usuários encontram a oportunidade de fazer pagamentos e transferências em questão de segundos. Sendo que todo o processo acontece de uma forma bastante segura.

Ou seja, agora, operações que antes poderiam levar mais de um dia para serem concluídas, podem ser feitas em até 10 segundos.

Sendo assim, o Pix se apresenta como uma alternativa frente às opções encontradas hoje, como o DOC e TED. Afinal de contas, ambas as opções possuem diferentes restrições para os usuários.

O que você acha de compreender melhor sobre o funcionamento do Pix e quais são as suas principais vantagens para um MEI?

Continue acompanhando o nosso artigo e descubra tudo o que você precisa saber sobre este novo meio de pagamentos.

Do que se trata o Pix?

No início do ano, o Banco Central anunciava o lançamento do Pix, um novo meio de pagamentos que tem como intuito baratear e facilitar a realização de transações bancárias.

Com início previsto para dia 16 de novembro, o Pix permite que os seus usuários façam uma série de operações, como:

  • Pagamentos;
  • Transferências entre duas pessoas físicas ou jurídicas;
  • Recolhimento de impostos e taxas;
  • Entre outros.

Deste modo, os usuários podem fazer todas as suas operações de forma prática, segura e instantânea.

Ou seja, o Pix permite que transferências e pagamentos sejam feitos 24 horas por dia, em todos os dias da semana. Isso significa que, os usuários não encontram mais restrições para que as suas transações sejam concluídas.

Sendo assim, todos os bancos e fintechs que possuem mais de 500 mil contas ativas devem se preparar para receber e oferecer o Pix para seus usuários.

Como vai funcionar o Pix?

Uma dúvida muito comum quanto ao Pix é se o usuário terá que abrir uma nova conta bancária. Ou seja, se ele se apresenta como uma nova conta.

A resposta é simples. Não é necessário, pois o Pix não se trata de uma nova conta, e sim uma opção disponibilizada pelos bancos, fintechs e demais instituições.

Deste modo, os usuários sequer precisam baixar um aplicativo próprio para este meio de pagamentos. O próprio aplicativo do banco disponibiliza a utilização do Pix para as operações bancárias.

Hoje, para fazer operações como pagamentos e transferências, os usuários encontram algumas opções, como:

  • DOC (Documento de Ordem de Crédito);
  • TED (Transferência Eletrônica Disponível).

No entanto, ambas as opções possuem várias restrições, que podem fazer com que operações como transferências levem até mais de um dia para serem feitas.

Portanto, o Pix chega como uma opção que permite que as transações bancárias sejam feitas a qualquer momento.

Este funcionamento traz consigo algumas vantagens para o Microempreendedor Individual (MEI). O que você acha de compreender melhor essa relação? Confira a seguir!

Quais as vantagens para o MEI?

Atualmente, uma das formas mais práticas de um profissional autônomo desempenhar as suas atividades de forma legal é por meio do Microempreendedor Individual (MEI).

No entanto, como a chegada do Pix pode beneficiar o MEI? Sem sombra de dúvidas, a principal delas é a facilidade em receber pagamentos dos seus clientes, não perdendo assim nenhuma das suas vendas.

Afinal de contas, os prazos para transferências agora dão espaço para pagamentos feitos de forma instantânea. Ao utilizar o Pix, o MEI não precisa mais se preocupar em andar com grandes quantias em dinheiro vivo.

Desta maneira, acompanhe a seguir quais são as principais vantagens do Pix para um MEI. Vamos lá?

  • Economia na realização de transações financeiras;
  • Otimização do fluxo de caixa;
  • Pagamentos instantâneos;
  • Maior praticidade no seu dia a dia.

Uma outra dúvida que deve ser solucionada diz respeito a maneira com a qual todas as operações serão realizadas. Acompanhe a seguir!

Aproveite e leia sobre a Plataforma do eSocial Doméstico

Como as operações serão feitas?

Segundo o Banco Central, as operações financeiras poderão ser feitas de diferentes maneiras por meio do Pix. Veja quais são:

  • Por meio dos dados bancários;
  • Utilizando uma chave Pix;
  • Código QR.

A primeira opção é semelhante ao TED e DOC. O foco é fornecer as informações bancárias referentes ao recebedor.

Chaves Pix

Já a segunda opção, a chave Pix, de acordo com o Banco Central, se apresenta como um apelido que permite identificar uma conta. Os usuários podem cadastrá-las de várias formas. Confira as principais opções:

  • CNPJ;
  • CPF;
  • E-mail;
  • Número do telefone;
  • Chave aleatória.

Para a realização das operações, basta somente fornecer a chave Pix de quem vai receber o pagamento.

Usuários que se apresentam como pessoas físicas podem registrar 5 chaves por conta, enquanto pessoas jurídicas podem fazer o registro de até 20.

Código QR

A última opção para a realização de operações por meio do Pix se apresenta como a leitura de um QR Code.

Os usuários encontram duas opções de QR Code, sendo uma estática, indicada para múltiplas operações, e uma dinâmica, recomendada para o pagamento de compras.

Portanto, o Pix chega com uma proposta que tem como intuito facilitar a vida do MEI que, no seu dia a dia, lida com diversas transações bancárias.

Gostou do nosso conteúdo? Aproveite para acompanhar mais conteúdo como este em nosso blog, confira também nossos serviços. 

 
 
Clique para avaliar este post!
[Total: 0 Média: 0]