Sua Empresa cresceu? Saiba como migrar de MEI para ME

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Todo empreendedor que começa o próprio negócio tem como objetivo vê-lo crescer e se consolidar no mercado, não é mesmo? Neste sentido, pode ser possível migrar de MEI para ME devido ao seu crescimento.

Atualmente, uma das formas mais práticas de tirar o sonho de empreender do papel é se formalizando como um Microempreendedor Individual (MEI).

No entanto, estamos falando de uma opção básica, repleta de restrições. Com isso, caso um negócio venha a crescer e, assim, aumentar a sua demanda, o empreendedor pode migrar para uma Microempresa (ME).

Deste modo, é de extrema importância compreender com detalhes como é o processo para migrar de MEI para ME de forma legal, entendendo assim todas as vantagens por trás desta mudança.

Que tal acompanhar conosco como é feito este processo e como se formalizar como uma Microempresa de forma legal? Leia este artigo com atenção e descubra tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

Microempreendedor Individual (MEI) x Microempresa (ME)

Antes de compreender como é o processo de mudança de MEI para ME e quais são os motivos que influenciam na migração, devemos entender também o que cada uma dessas opções representa.

Isso porque, estamos falando de duas modalidades repletas de especificidades próprias, que determinam como será feita a gestão de um negócio.

Sendo assim, confira conosco quais as principais diferenças entre um Microempreendedor Individual (MEI) e Microempresa (ME). Vamos lá?

Leia também sobre: Novas regras de contribuição do INSS: Como elas afetam MEI e profissional autônomo

Microempreendedor Individual

A nossa primeira opção é o Microempreendedor Individual (MEI), na qual os profissionais autônomos encontram a possibilidade de legalizar as suas atividades.

Deste modo, a sua primeira característica principal é que nem todos os profissionais podem se tornar MEI. Isso porque, a categoria permite que somente algumas atividades econômicas possam ser desempenhadas. 

Além disso, o MEI também traz consigo outras especificidades. Acompanhe a seguir algumas delas:

  • Faturamento anual de, no máximo, R$ 81 mil;
  • Contratação de 1 funcionário;
  • Não ter participação como titular, sócio ou administrador de uma outra empresa.

Dentre as principais vantagens por trás do MEI está também a praticidade para se enquadrar como um. Afinal, basta acessar o Portal do Empreendedor e seguir os próximos passos.

Por fim, o MEI lida com a sua carga tributária por meio de um único recolhimento, o Documento de Arrecadação Simplificado (DAS).

Agora, vamos compreender melhor quais são as principais características de uma Microempresa (ME)? Acompanhe a seguir!

Microempresa (ME)

Uma segunda opção para os empresários é abrir uma Microempresa (ME). Afinal de contas, são várias as possibilidades e vantagens por trás desta opção.

Desta forma, uma ME é indicada para negócios de maior abrangência, na qual a CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) não se enquadra como um MEI.

Sendo assim, acompanhe conosco quais são as principais características envolvidas em uma Microempresa (ME):

  • Faturamento de até R$ 360 mil;
  • Contratar até 19 funcionários, dependendo do segmento de atividade;
  • Enquadramento tributário no Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real;
  • Emissão de notas fiscais.

Portanto, os empresários encontram uma maior possibilidade de atuação e crescimento quando nos referimos à abertura de uma Microempresa (ME).

Após compreender ambos os modelos de empreender, é fundamental entender também quais são os motivos que levam a migrar de MEI para ME. Continue acompanhando o nosso artigo e descubra!

Quais são os motivos de MEI para ME?

Quando um empresário entende as características e diferenças entre MEI e ME, ele já tem uma noção do que motiva uma mudança.

Deste modo, o primeiro motivo para migrar de MEI para ME é o faturamento anual. Afinal, um Microempreendedor Individual, quando começa a faturar acima de R$ 81 mil, ele precisa de um novo enquadramento.

Além disso, com o aumento da demanda, existe também a necessidade de contratar mais funcionários. Fato que também influencia migrar de MEI para ME.

É possível também citar outros motivos, como a oportunidade de abrir novas filiais ou de contar com a presença de sócios. Todos eles determinam uma mudança no enquadramento de um negócio.

Sendo assim, para formalizar a migração de MEI para ME, deve-se seguir um processo, o qual você verá a seguir:

  • Solicitar o desenquadramento no Portal do Simples Nacional;
  • Informar o motivo;
  • Comunicar à Junta Comercial do estado;
  • Atualizar os dados cadastrais da sua empresa;
  • Arcar com os impostos corretamente.

É de fundamental importância contar com o apoio de um serviço especializado, como uma contabilidade, em todo o processo. Com isso, entre em contato conosco e descubra como nós podemos te ajudar!

Todo empreendedor que começa o próprio negócio tem como objetivo vê-lo crescer e se consolidar no mercado, não é mesmo? Neste sentido, pode ser possível migrar de MEI para ME devido ao seu crescimento.

Atualmente, uma das formas mais práticas de tirar o sonho de empreender do papel é se formalizando como um Microempreendedor Individual (MEI).

No entanto, estamos falando de uma opção básica, repleta de restrições. Com isso, caso um negócio venha a crescer e, assim, aumentar a sua demanda, o empreendedor pode migrar para uma Microempresa (ME).

Deste modo, é de extrema importância compreender com detalhes como é o processo para migrar de MEI para ME de forma legal, entendendo assim todas as vantagens por trás desta mudança.

Que tal acompanhar conosco como é feito este processo e como se formalizar como uma Microempresa de forma legal? Leia este artigo com atenção e descubra tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

Aproveite para ler também: MEI: saiba como fazer a sua Declaração Anual de Faturamento

Microempreendedor Individual (MEI) x Microempresa (ME)

Antes de compreender como é o processo de mudança de MEI para ME e quais são os motivos que influenciam na migração, devemos entender também o que cada uma dessas opções representa.

Isso porque, estamos falando de duas modalidades repletas de especificidades próprias, que determinam como será feita a gestão de um negócio.

Sendo assim, confira conosco quais as principais diferenças entre um Microempreendedor Individual (MEI) e Microempresa (ME). Vamos lá?

Microempreendedor Individual

A nossa primeira opção é o Microempreendedor Individual (MEI), na qual os profissionais autônomos encontram a possibilidade de legalizar as suas atividades.

Deste modo, a sua primeira característica principal é que nem todos os profissionais podem se tornar MEI. Isso porque, a categoria permite que somente algumas atividades econômicas possam ser desempenhadas. 

Além disso, o MEI também traz consigo outras especificidades. Acompanhe a seguir algumas delas:

  • Faturamento anual de, no máximo, R$ 81 mil;
  • Contratação de 1 funcionário;
  • Não ter participação como titular, sócio ou administrador de uma outra empresa.

Dentre as principais vantagens por trás do MEI está também a praticidade para se enquadrar como um. Afinal, basta acessar o Portal do Empreendedor e seguir os próximos passos.

Por fim, o MEI lida com a sua carga tributária por meio de um único recolhimento, o Documento de Arrecadação Simplificado (DAS).

Agora, vamos compreender melhor quais são as principais características de uma Microempresa (ME)? Acompanhe a seguir!

Microempresa (ME)

Uma segunda opção para os empresários é abrir uma Microempresa (ME). Afinal de contas, são várias as possibilidades e vantagens por trás desta opção.

Desta forma, uma ME é indicada para negócios de maior abrangência, na qual a CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) não se enquadra como um MEI.

Sendo assim, acompanhe conosco quais são as principais características envolvidas em uma Microempresa (ME):

  • Faturamento de até R$ 360 mil;
  • Contratar até 19 funcionários, dependendo do segmento de atividade;
  • Enquadramento tributário no Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real;
  • Emissão de notas fiscais.

Portanto, os empresários encontram uma maior possibilidade de atuação e crescimento quando nos referimos à abertura de uma Microempresa (ME).

Após compreender ambos os modelos de empreender, é fundamental entender também quais são os motivos que levam a migrar de MEI para ME. Continue acompanhando o nosso artigo e descubra!

Quais são os motivos de MEI para ME?

Quando um empresário entende as características e diferenças entre MEI e ME, ele já tem uma noção do que motiva uma mudança.

Deste modo, o primeiro motivo para migrar de MEI para ME é o faturamento anual. Afinal, um Microempreendedor Individual, quando começa a faturar acima de R$ 81 mil, ele precisa de um novo enquadramento.

Além disso, com o aumento da demanda, existe também a necessidade de contratar mais funcionários. Fato que também influencia migrar de MEI para ME.

É possível também citar outros motivos, como a oportunidade de abrir novas filiais ou de contar com a presença de sócios. Todos eles determinam uma mudança no enquadramento de um negócio.

Sendo assim, para formalizar a migração de MEI para ME, deve-se seguir um processo, o qual você verá a seguir:

  • Solicitar o desenquadramento no Portal do Simples Nacional;
  • Informar o motivo;
  • Comunicar à Junta Comercial do estado;
  • Atualizar os dados cadastrais da sua empresa;
  • Arcar com os impostos corretamente.

É de fundamental importância contar com o apoio de um serviço especializado, como uma contabilidade, em todo o processo. Com isso, entre em contato conosco e descubra como nós podemos te ajudar!

 

 
 
Clique para avaliar este post!
[Total: 0 Média: 0]